domingo, 20 de dezembro de 2009

Avatar: O Maior Filme do Ano



Como encontrar palavras para explicar o sentimento após as quase três horas de exibição de Avatar? A comparação que posso fazer é a seguinte: um amigo promete lhe apresentar uma garota, e destaca suas mil qualidades. Mas quando você a vê, percebe que ela não é exatamente como você havia ouvido. Um pouco decepcionado, você começa a conversar com a garota, e depois de conhecê-la melhor, fica simplesmente apaixonado por ela. Sim, este é meu sentimento por Avatar.

É recomendado que você evite ler sobre a história do filme; portanto, evitarei aqui entrar em detalhes sobre o roteiro. Basta dizer que Avatar nos apresenta um inteiro mundo novo: a lua Pandora, com sua natureza única e um povo nativo, os na’vi, ameaçados pela chegada dos humanos.

Os detalhes técnicos são simplesmente fantásticos. Assistir o filme em 2D já é uma experiência sensacional – que dirá em 3D. As criaturas e características do meio ambiente são surpeendentes, dada a qualidade absurda da computação gráfica, que torna esses seres críveis e reais. A criação de uma cultura e idioma próprios dos azuis na’vis também enriquece muito a película.

O roteiro não enrola, e vai direto ao ponto na história que deseja contar. O filme consegue prender a atenção do espectador tanto em cenas com um tom dramático como nos agitados momentos de batalha; sempre tendo como fundo uma trilha sonora sublime de James Horner, coroada com a canção-tema “I See You” na voz de Leona Lewis.

Olhando para as atuações, temos como grande destaque a atuação de Zöe Saldana como a na’vi Neytiri – que para muitos soa como a tradicional lenda americana de Pocahontas. A experiente Sigourney Weaver também acrescenta muito ao filme, e não se pode esquecer de Sam Worthington, que parece despontar mesmo como a nova cara dos filmes de ação.

James Cameron certamente atingiu seu objetivo com Avatar. Criou um mundo fantástico no qual é possível acreditar e, o que é mais importante, deixa no espectador a vontade de saber mais sobre os na’vis e sua terra. Encerra 2009, sem dúvida, como o filme mais completo do ano, e uma das histórias mais originais feitas diretamente para o cinema dos últimos tempos.

Vá para o cinema sem ter nenhuma idéia sobre o filme. Espere ser surpreendido. Você não se arrependerá.

Nota: 10/10.

3 comentários:

Ádila Sampaio disse...

Caramba, com essa sua descrição no inicio da postagem fiquei louca pra ver o filme, espero realmente me surpreender!!!

sosvip disse...

E aew Guilherme, blz?
Passando para conferir as novidades e dizer que adicionei um link na Homepage do VIP para o Melodia da Palavra.
Parabéns pela disposição de continuar!!
Sucesso!
Ah, acho que conheço a comentadora acima...hehe

Mino disse...

O filme é simplesmente fantástico, a idéia, as imagens, tudo é impressionante. Não lembro a outra vez que estive no cinema e que a platéia tenha se levantado e aplaudido o filme no final.